Dicas

Confira dicas importantes na hora de fazer sua revisão. Basta escolher entre as categorias abaixo.

 

Saiba a hora certa de fazer o alinhamento:


• A cada troca de pneus;


• Quando os pneus apresentarem desgaste excessivo na área do ombro;


• Quando os pneus apresentarem desgaste em forma de escamas na banda de rodagem;


• Trepidação das rodas dianteiras;


• Vibração do carro;


• Volante duro;


• Carro tende para os lados quando o motorista solta o volante;


• Carro desvia e puxa para o lado quando os freios são acionados;


• A cada 10 mil km (rodízio ou balanceamento)

Dicas simples, mas eficientes na hora de fazer o balanceamento:


• A cada troca de pneus;


• Por ocasião do rodízio de pneus (cada 10 mil km);


• Ao primeiro sinal de vibração no volante ou desgaste irregular dos pneus;


• Após ser efetuado reparo no pneu ou na câmara de ar.

Dicas sobre Filtros:


Filtro de óleo - este ítem é responsável pela retenção de partículas abrasivas oriundas da queima de combustível e do desgaste das peças móveis do motor. A manutenção deste filtro deve ser feita conforme a recomendação do fabricante do veículo, porém é desejável que a cada troca de óleo se faça também a troca do filtro, de forma a garantir suas funções principais.


Filtro de ar - a manutenção correta deste item pode evitar excessivo consumo de combustível ou baixo rendimento do motor, já que este tem a importante função de reter as partículas de poeira e fuligem do ar, utilizado para a queima do combustível. Deve-se trocar este item sempre seguindo a recomendação do fabricante do veículo, em geral de cada 15 a 20 mil km. Porém, em locais de grande concentração de poeira, esta troca deve ser mais freqüente.


Filtro de combustível - este tem o papel de reter as impurezas em suspensão na gasolina ou no álcool. A verificação deste ítem em veículos carburados deve ser feita entre 8 e 15 mil km e para os veículos com injeção direta, entre 15 e 40 mil km, conforme a recomendação do fabricante.

Dicas sobre Fluídos:


Fluidos de freio - o sistema de freios constitui-se num ítem de segurança do seu carro. Se devidamente regulado e conservado, assegura uma frenagem perfeita, sob as mais diversas condições de trânsito. Portanto, verifique regularmente o nível do fluido de freio do reservatório. Ao menor sinal de irregularidade neste item, como pedal de freio mais baixo ou luz de freio do painel acesa, consulte um mecânico imediatamente.


Água e fluido do radiador - sabemos que os motores trabalham a uma temperatura maior que 100°C e, desta forma, a água sozinha não cumpre a sua principal função, que seria a de refrigerar o motor. Sendo assim, devemos usar no sistema de arrefecimento uma combinação de água e fluido refrigerante, que além de assegurar uma perfeita refrigeração do motor, lhe garante também proteção, evitando ferrugem e consequentemente, vazamentos no sistema.


Água de bateria - verifique periodicamente o sistema elétrico do seu veículo. Examine a cada trinta dias o nível da água (baterias convencionais) e quando necessário, acrescente somente água destilada e lembre-se de não ultrapassar o nível. Verifique se há oxidação nos pólos positivos e negativos, e caso haja, limpe-os com uma solução de água + carbonato de sódio.


Água para o limpador de pára-brisa - é recomendável que se mantenha neste reservatório uma solução de água + sabão específico, pois em caso de chuva, essa combinação pode auxiliar na visibilidade, mantendo o pára-brisa desengordurado e sem a lama, geralmente levantada pelo veículo da frente.


Outra dica importante: se for deixar o seu veículo parado por mais de uma semana, desligue o cabo negativo da bateria. Mas atenção, este procedimento não deve ser adotado caso o veículo possua computador de bordo ou som com sistema código.

Dicas sobre Lubrificantes:


Pense no motor como sendo o coração do seu carro e o óleo como o sangue bombeado por ele. Um não funciona sem o outro. Portanto, siga rigorosamente as recomendações do fabricante do seu veículo quanto às trocas de óleo de motor. Este cuidado pode significar uma economia considerável de lubrificante e combustível e maior vida útil para o motor. Não deixe, da mesma forma, de fazer a manutenção dos óleos transmissão e diferencial, e se for o caso, também o de direção hidráulica. A esses itens devemos dar o mesmo grau de importância, para o bom funcionamento do seu carro.


Dicas sobre Pneus:


Os pneus têm grande responsabilidade pela sensação de conforto ao dirigir. A sua vida útil é estimada em 100.000 km, se usado corretamente. Cuidar dos pneus requer uma certa disciplina. A calibragem, conforme indicação do Manual do Proprietário, deve ser feita a cada 15 dias, sempre pela manhã, com os pneus ainda frios. Alinhamento e balanceamento são recomendáveis a cada três meses, na troca ou reparo dos pneus ou se o carro apresentar trepidações no volante. Outro fator altamente recomendável é o rodízio dos pneus a cada 5.000 km. Além de prolongar a vida útil dos pneumáticos, essas medidas garantem melhor dirigibilidade e que peças da suspensão não se desgastem prematuramente.


Pneus carecas representam grande perigo ao motorista. Não garantem a frenagem correta, não seguram o carro nas curvas e, em pisos molhados, o risco de acontecer uma aquaplanagem torna-se praticamente inevitável.


Também a probabilidade de o pneumático furar quando está desgastado é extremamente maior. Neste caso, um furo ou estouro com o veículo em movimento pode significar um grave acidente, comprometendo a sua vida e de sua família, sem contar a vida de pedestres e terceiros, que nada têm a ver com os cuidados que você toma com o seu veículo. Pense nisso!

Outras dicas importantes:


Extintor de incêndio- Observe sempre se está dentro do prazo de validade, caso contrário você pode se ver em sérios apuros se precisar dele, ou na hora de fazer a vistoria do Detran.


Alinhamento- Aumenta a vida útil dos pneus. O veículo bem alinhado oferece menor atrito entre os pneus e o solo, aumenta a estabilidade em curvas e melhora a dirigibilidade do veículo.


Balanceamento- Impede oscilações do volante e da carroceria. O veículo balanceado roda sem vibrações, o que ameniza o desgaste de todas as peças da suspensão.


Pastilhas e lonas- O freio é item fundamental na segurança do veículo. As pastilhas e as lonas gastam diminuem a capacidade de frenagem, aumentando o espaço que o veículo percorre até parar. O discos de freio gastos podem quebrar com a temperatura de frenagem.


Água do radiador- Os veículos, hoje, têm sistema de arrefecimento com radiador “selado”. Isso dá mais tranqüilidade ao proprietário do carro, uma vez que não é necessário estar sempre verificando o nível de água do radiador. No entanto, a água do radiador selado deve ser misturada a um líquido a base de propilenoglicol, que altera o ponto de ebulição da água, uma vez que nesse sistema de radiador a pressão é bem maior. Em toda parada do carro na oficina devemos aproveitar a oportunidade para verificação do nível de água no reservatório (que deve ser feito com o motor frio) e o estado da mistura de propilenoglicol, para evitarmos motores com aquecimento. Sempre que possível é interessante fazer a limpeza do sistema de arrefecimento, com a substituição do líquido. Isso evita altas temperaturas do motor e a formação de bolhas na água, que, sob alta pressão, escavam buracos nas paredes do motor. Radiador limpo com aditivo novo aumenta a vida útil do motor.


Óleo de caixa- Como não é comum estabelecer um limite de quilometragem para este óleo, sempre que o carro parar na oficina é bom conferir o nível e, se necessário, completá-lo. Além de lubrificar, ele mantém a temperatura de funcionamento das engrenagens da caixa de marchas.


Embreagem- A embreagem tem como função principal transmitir a força do motor para as rodas e possibilitar a mudanças de marchas. Em uma cidade com muitas subidas e sinal de trânsito, o seu uso torna-se muito intenso. O seu desgaste pode provocar patinação que, na maioria das vezes, o motorista nem percebe. Esse fato aumenta o consumo de combustível e põe em risco a segurança, pois o limite é o carro parar. Faça a verificação e a regulagem sempre que o carro parar na oficina. Se necessário e se a troca for recomendada pelo técnico, autorize a sua substituição para obter melhor rendimento do carro e menor consumo de combustível.


Limpeza dos bicos injetores- Os bicos injetores são tão importantes para o carro como as artérias são para o corpo humano. Da mesma forma que vivemos lutando contra o colesterol e a gordura, procurando deixar veias desentupidas para que o sangue circule melhor pelo organismo, o bico injetor do automóvel deve estar sem sujeiras, para que a gasolina circule livremente até os cilindros, o coração do motor. A maior causa de mal funcionamento do bico injetor é a sujeira acumulada. Em uma país como o Brasil, onde a gasolina às vezes é de má qualidade, o problema é bastante comum, e não há ponte de safena que resolva. O caro que tive um ou mais bico injetores sujos pode enfartar. Começa a engasgar, sofre perda de potência e trabalha de forma incorreta, aumentando o desgaste das peças e um conseqüente aumento do consumo de combustível.


Correias do motor- As correias ressecadas podem se partir, gerando prejuízos para a área do motor que elas comanda.


A correia da bomba d'água pode, se rompida, elevar a temperatura do motor até fundi-lo.


A correia da direção hidráulica, se rompida, endurece a direção, deixando o carro difícil de dirigir e causando riscos de graves acidentes.


A correia do alternador, se rompida, para o sistema de ar condicionado e elétrico.


As correias dentadas com desgaste são as causadoras dos mais graves problemas. Devem ser substituídas nos intervalos de quilometragem determinados pelo fabricante. Se rompidas, o veículo para de funcionar imediatamente, podendo na maioria das vezes causar sérios danos ao motor.


Velas de ignição- As velas têm duas funções no carro: provocar a ignição da mistura de ar e de combustível, gerando a força do motor, e remover calor da câmara de combustível. Velas com abertura desrregulada ou eletrodos desgastados não provocam a queima correta do combustível, provocando perda de potência e o conseqüente aumento de consumo de gasolina.


Coxins do motor- Os coxins prendem o motor na carroceria do carro. São de borracha para evitar transmissão da vibração do funcionamento do motor para a carroceria, o que pode provocar fadiga em diversos suportes de equipamentos fixados na carroceria. Quando quebrados, os coxins deixam o motor deslocar nas acelerações, o que provoca o estrago de outras peças.


Coifas de homocinética- Protegem as homocinéticas de sujeiras e também guardam a graxa para lubrificação das mesmas. Quando ressecadas, cortam e deixam a graxa sair e a sujeira entrar, danificando e quebrando as homocinéticas. A sua verificação é importante sempre que o carro parar nas oficinas, pois o seu preço é bem mais baixo do que o da homocinética.


Amortecedores- Os amortecedores têm a finalidade de controlar a quantidade de energia que entra e sai das molas. Eles amortecem o movimento da suspensão, para cima e para baixo, em harmonia com as molas, de maneira a deixar os pneus do veículo sempre em contato com o chão. Amortecedores danificados não amortecem o movimento das molas, deixando a roda do veículo “pular”, perdendo o contato com o piso, e deixando o carro sem estabilidade correndo o risco de perder a sua trajetória. Além disso, aumentam muito a vibração do veículo, causando desgaste prematuro das demais pelas da suspensão e também dos pneus.


Rolamentos de roda- É por meio dos rolamentos das rodas que os carros “deslizam” com suavidade pelas ruas. Quando desgastados, apresentam folgas que comprometem outras partes da suspensão e também provocam uma elevação de sua temperatura, podendo até fundir. Sempre que o carro parar na oficina é bom verificá-los e se necessário ajustar sua folga (quando permitido), caso contrário a substituição será inevitável.


Check-up da suspensão- É por meio da suspensão do veículo que temos conforto, estabilidade e segurança nas viagens. Ela é composta de bandejas, buchas, molas, pivôs, amortecedores, tensores, etc. Sua verificação é de extrema importância, pois pequenas folgas nesses itens podem trazer grande prejuízo para estabilidade e dirigibilidade do veículo, provocando desgaste precoce dos pneus e até mesmo comprometendo gravemente a segurança das pessoas.


Rodízio de pneus- A média de uso de um pneu de passeio em condições normais de calibragem, de alinhamento de suspensão e de balanceamento é de 40.000km. para atingir-se esta média é necessário o rodízio de pneus, uma vez que os pneus das rodas dianteiras, que são direcionadas e na maioria das vezes de tração, têm desgaste maior. Sempre que houver uma oportunidade de parar o carro em uma concessionária autorizada, peça orientação sobre o rodízio para um técnico vendedor.